Homilias › 07/05/2019

Homilia da Missa de Cura e Libertação 07/05/2019

NO COLO DE MARIA
-Missa por cura e libertação
Se tomarmos a bíblia e as histórias do Antigo Testamento, encontramos inúmeras delas Reis do paganismo, entre eles o Rei Antíoco IV que usavam de manipulação e estratagema cujo objetivo maldoso e violento era extinguir o culto ao DEUS ÚNICO E VERDADEIRO. Queriam instalar o paganismo entre o povo de Deus (entre os judeus); assim era feito em todos os paisés que invadiam Constrangia, infelizmente um contingente enorme de homens e mulheres para exercer as praticas pagãs.
Todavia, um pequeno grupo do povo de Deus permaneceu fiel, passando a ser perseguido e pressionado por duras violências.
Tinham Deus em seus corações e queriam viver os mandamentos e as leis do Senhor, por mais exigentes que fossem.
E Deus os sustentava para não desistir e se tornassem testemunho do seu plano de amor.
No livro II Macabeus; capítulos 7 e 8, nos deparamos com a história do Rei Antíoco IV, que manda prender uma mãe (não cita o nome, mas a população o apelidou com 3 nomes: ANA/ MÍRIAM ou SALOMÔNIA). Essa mãe tinha 7 filhos. Tanto ela como os 7 irmãos eram tementes e fiéis a Deus. Aconteceu o fato: ela fora presa e os 7 irmãos, por causa da fidelidade ao SENHOR DEUS, foram levados á presença do rei, que queria obriga-los a negar e abandonar a fé no Senhor. Na época entre os preceitos era proibido comer carne de porco( acreditavam que essa carne era demoníaca) e o rei os obrigava comer publicamente a carne do porco, desta forma negando a Deus e a desonra-lo publicamente.
O filho mais velho afirmou diante do rei que de modo algum faria o que ele ordenava, pois pertencia a Deus e, custa o que custasse, permaneceria fiel a Ele. O rei decidiu então tortura-lo de forma violenta e terrível na presença de sua mãe e outros 6 irmãos: A princípio, ordenou que lhe ARRANCASSEM O COURO CABELUDO, em seguida, que o esfolassem, retirando-lhe a pele.
Mas o jovem, quase sem vida, quase em respiração, permaneceu firme e não desobedece e nem negou a Deus. O rei diante disso mandou que lhe cortassem a extremidade dos dedos, depois as mãos e os pés, porém o rapaz continuava dizendo: “NÃO VIOLAREI A LEI DO MEU DEUS, EU SOU DE DEUS E NÃO ME RENDEREI”. O rei cada vez mais enraivecido ordenou que tostassem o jovem e, em seguida, o assassem em um caldeirão, diante da mãe e dos irmãos.
Mesmo com essa ameaça ele não voltou atrás.
Seus irmãos, um após o outro, passaram então a ser torturados, mas nenhum deles entregou-se.
O rei já estava ficando temeroso e com receio de perder o crédito daquele povo. Aproximou-se do irmão mais novo, na certeza que ele não iria aguentar. Como o menino não lhe prestasse a mínima atenção, o rei entrega o filho mais novo ao colo da sua mãe para que o aconselhasse a se render e se entregar, a violar a lei de Deus para que sua vida fosse poupada.
Com certeza aquela mãe estava com o coração despedaçado por ver seus 6 outros filhos serem barbaramente torturados e mortos, mas heroicamente, apesar de ter restado apenas esse filho mais novo, e ao contrário do que se imaginava, com o filho no colo , inclinou-se sobre o menino e disse:” Meu filho, compadece-te de tua mãe que trouxe nove meses no seio, que te nutriu, conduziu e educou até essa idade. Eu te suplico, meu filho querido, contempla o céu e a terra, e reflete tudo que vês, Deus o criou do nada, assim como todos os homens e não temas, pois, esse algoz, mas sê digno de teus irmãos que foram fiéis e aceita a morte para que, no dia da misericórdia eu te encontre no meio dele”.
Assim, o menino apresentando-se diante do rei, disse: ”Eu também não seguirei tuas ordens, mas a do meu Deus.”
O rei ficou terrivelmente rancoroso, mandando suplicar ainda mais o garoto, que não voltou atrás. E a mãe assistindo a tudo aquilo, manteve-se firme, pois era fiel á seu Deus e á sua lei.
É isso que Maria, a mãe de Jesus quer lhe dizer hoje. Ela com seu filho Jesus no colo, descido da cruz, tendo-o acompanhado no suplício da paixão e morte, firme e fiel ao plano de Deus para a nossa salvação.
É isso que Jesus quer que Maria faça: em função disso é preciso como aquela mãe e 7 filhos de II Macabeus 7 e 8 fez; Como Jesus e Maria fizerem: primeiramente você acredita no amor de Deus. Ele ama você com o amor mais terno, mais puro e totalitário.
Deus sabe tudo, inclusive de seus pecados. Porém, apesar de tudo, Ele lhe ama, justamente por que você passou por grandes sofrimentos e tentações na vida.
Deus e Maria te amam como aquele amor que uma mãe tem por seu filho no colo doente, acidentado, drogado, jogado em uma cama de hospital, na prisão, prostituído, desencontrado…
Maria lhe diz: Como mãe, estou agora tocando teu coração para que você acredite e aceite o amor do Pai Celeste. Não estou apenas consertando o seu coração, mas sim dando-lhe um novo.
Receba-o, pois é com ele que eu quero que você caminhe.
As diversas imagens de Maria que nos apresentam veem sempre com o rosto adocicado e sereno, mas me chama muito atenção de Maria aos pés da cruz, vendo seu Filho Jesus sendo torturado e morto para ser fiel ao plano do Pai celeste.
Maria em nenhum momento com a fragilidade feminina e apaixonante figura de mãe aconselhou seu filho a desistir da sua divina missão.
Maria aos pés da cruz coloca sobre seus joelhos e em seu colo o filho Jesus torturado e o abraça. E embora estivesse com o coração despedaçado de mãe, entrega seu filho morto ao Senhor Deus e o prepara para a ressurreição.
Com certeza disse a Ele que não voltasse atrás em sua missão e não cedesse. O mundo inteiro estava contra Ele, querendo que esquecesse a vontade de Deus, mas ela o incentivou, nutriu, educou, e o conduziu ali a contemplar o céu e a terra e o preparou a aceitar a morte e assim perdoar os inimigos e alcançar a morte para todos nós.
Mães, que precioso exemplo de MARIA. Quando o mundo inteiro parece estar contra seus filhos, dizendo: “goze a vida, que sinta todos os prazeres e se entregue a bebida, ás baladas alucinantes e se esqueça de Deus. A televisão, o rádio, os jornais e as revistas os meios de comunicação em geral promovem chamadas aos prazeres e convidam a viver de maneira pagã. O mundo ainda não torturou seu filho como fez com Jesus, mas anda aliciando oferecendo prazeres, prometendo felicidade, levando-o a errar muito, a pecar em excesso para afasta-lo de Deus e dos mandamentos.
O mundo, e por trás dele o demônio e os seus anjos maus, deseja sua destruição, quer derruba-lo. A bebida excessiva e o tóxico estão aí para acabar com seu corpo, o seu espírito e a sua alma; prometem muita alegria e a fuga dos problemas, mas na realidade, a intenção do demônio é afasta-lo do Deus vivo e verdadeiro; Daquele que é o caminho á verdade e á vida. É isto que ele faz quando os atrai para os prazeres, querendo tirá-lo de casa e aniquilá-lo perante ele mesmo, sua família e sua Igreja. O mundo, por meio das revistas e novelas da propaganda, televisão, pinta para ele tudo com cores muito atraentes; há toda uma sexualidade inconsequente que gera depravação, promiscuidade e divide os lares, destruindo a família e seu amor verdadeiro.
Maria assim nos ensina pela sua fidelidade, que no entanto, você não foi feito para o mal, nem para o pecado. Deus criou você sua família para o amor.
É nosso papel de educadores mostrar aos filhos que não foram concebidos para os prazeres: para as bebidas, os tóxicos, o jogo ou o roubo, nem para se aproveitar dos outros a fim de ganhar mais; não foi feito para a mentira, nem para a hipocrisia, o ódio ou o rancor; como também não foi feito para revoltar-se consigo mesmo e com a sua família. Não! Fomos feitos por um Deus de amor para AMAR. O mundo tem nos aliciado para os prazeres e por causa deles encontramos a infelicidade.
Penso que assim como Maria tomou seu filho no colo, hoje ela toma-nos no seu colo, como mãe e nos diz: “meu filho ou minha filha, veja o que o pecado anda fazendo em você. No entanto, eu que sou sua Mãe, tomo-lhe no meu colo, como tomei o corpo do meu filho estraçalhado na cruz. Talvez você não tenha errado tanto, mas é infeliz. Vejo a infelicidade em seu lar divido, pois seu marido é infiel, sua mulher é neurótica, seu pai é autoritário demais e seu filho muito rebelde ou revoltado… Vejo seu coração pai ou mãe despedaçado, pequenino, machucado, ferido e compadeço-me de você. Vejo o coração daquele jovem que não está feliz com a escola, o namoro, as amizades e com a família. O mundo só lhes apresentou a sedução de falsos prazeres que vieram acompanhados de ódio, rancores, sexualidade e prazeres mundanos. Entrego todo meu amor de Mãe á você; sinta isso agora. Eu me condoo por você, para lhe cicatrizar seu coração ferido. Você precisa muito da minha cura de Mãe. Não fique pensando muito em seus problemas, mas aceite meu amor de Mãe Santíssima, eu posso interceder ao meu Filho para lhe restaurar, estou aqui para fazer de você uma linda obra de Deus aqui na terra, porque esse é o desejo de meu Filho Jesus!”

Deus abençoe você filho de Maria e á todas as Mães nossa gratidão, orações e admiração!

Padre Sílvio Roberto
Pároco

ORAÇÃO DIANTE A IMAGEM DE NOSSA SENHORA
Dê, agora, uma resposta a Maria.
Sim, mãezinha, aceito o seu amor. Obrigada por entender minha situação e me tomar em teu colo, envolvendo-me com a sua ternura.
Muito obrigada, Maria, minha mãe, MÃO de Jesus, por seu amor curador. Maria, minha mãe, aceito a obra que está produzindo em mim!
Muito obrigado!
Aceito e creio sim no amor de Deus: que Deus me ama com tudo o que eu tenho e com tudo aquilo que sou.
Ele não olha para o mal em mim ou para o meu pecado, e sim para mim, com muito carinho, ternura e misericórdia porque Ele é um Pai amoroso e sendo amor Ele me ama.
Maria, minha mãe, muito obrigada por esse novo coração: ACEITO-O.
Obrigada por arrancar-me o coração velho, empedrado, machucado e sujo, e posto em mim um coração novo, igual ao seu Filho Jesus. Amém!

Imprimir