Highslide for Wordpress Plugin

A saúde por intercessão dos santos

Muitas pessoas acorrem às igrejas e santuários para buscarem a saúde por intermédio de São Brás, Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora da Candelária e Todos os santosNossa Senhora de Lourdes.

São Brás é invocado, de maneira especial, como o protetor contra os males da garganta. Vem de muitos anos a tradição de as mães levarem seus filhos para receberem a benção com as velas cruzadas, na esperança de que seus filhos sejam protegidos contra os males da garganta e de outras doenças. Na medida em que esta benção é buscada com fé, certamente se torna uma proteção para os fiéis.

As inúmeras procissões de Nossa Senhora dos Navegantes e de Nossa Senhora da Candelária, além de buscarem a proteção para as pessoas que navegam pelos mares, voam pelos ares ou rodam pelas estradas, também servem para pagar promessas e buscar a proteção da mãe de Jesus que levou seu filho para apresentá-lo no templo de Jerusalém. O desejo de todas as mães é verem seus filhos crescerem com saúde, a partir de afirmação da sabedoria popular de que “tendo saúde, o resto a gente arranja”.

No dia 11 de fevereiro, junto com a festa de Nossa Senhora de Lourdes, comemoramos o Dia do Enfermo. É o dia em que inúmeras pessoas se dirigem para as grutas incrustadas em rochedos ou feitas por mãos humanas, para agradecerem por graças alcançadas ou pedirem a ajuda e proteção da Mãe de Deus. São pessoas que atribuem a cura das enfermidades a Nossa Senhora de Lourdes. Pessoas que aflitamente buscam o amparo da fé para superarem alguma doença pessoal ou de um ente querido. É por causa disso que, junto às grutas de Nossa Senhora de Lourdes, costumamos encontrar inúmeras placas de agradecimentos por cura ou de pedidos de ajuda.

Na região da Diocese de Santa Cruz do Sul temos muitas grutas de Nossa Senhora de Lourdes. Particularmente lembro a gruta de Itapuca no município de Anta Gorda, a gruta de Doutor Ricardo e a gruta que está junto à Casa de Retiros de Santa Cruz do Sul. Temos muitas comunidades dedicadas a Nossa Senhora dos Navegantes e uma paróquia consagrada a Nossa Senhora da Candelária. Em muitas das comunidades se realizam belas procissões no primeiro final de semana de fevereiro, sendo que algumas são procissões fluviais.

Em Aparecida, os bispos da América Latina e do Caribe reconheceram que “a piedade popular é uma maneira legítima de viver a fé, um modo de se sentir parte da Igreja e uma forma de ser missionários, onde se recolhem as mais profundas vibrações da América Latina”. Além disso, “o caminhar juntos para os santuários e o participar em outras manifestações da piedade popular, levando também os filhos ou convidando a outras pessoas, é em si mesmo um gesto evangelizador pelo qual o povo cristão evangeliza a si mesmo e cumpre a vocação missionária da Igreja” (DA, 264).

Que as bênçãos de São Brás, as procissões de Nossa Senhora dos Navegantes e de Nossa Senhora da Candelária e as orações junto às grutas de Nossa Senhora de Lourdes animem a fé das pessoas e tragam conforto para os doentes. É o que esperamos e desejamos no início do mês de fevereiro.

Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

Imprimir