Highslide for Wordpress Plugin
Homilias › 23/01/2017

3º DOMINGO TEMPO COMUM ANO A

3º DOMINGO TEMPO COMUM

ANO A        21 e 22 de Janeiro de 2017

Nunca se fez tantas perguntas como hoje. Tantas dúvidas  a respeito de tudo.

 A economia? Como educar um filho? Como estar seguro no casamento? Como ter paz? Como vencer tanta violência, corrupção? Este contexto de incerteza é propicio para surgir uma solução. Jesus hoje é apontado como LUZ e nos convoca para aderir o seu caminho.

1º Leitura – Isaías 8, 23b-9,3

Esse trecho é um anuncio messiânico ( de salvação ) de libertação a duas tribos ( de Zabulon e Neftali )  que viviam num lugar estratégico – Território de passagem das caravanas e exércitos em direção ao mar para Egito e Mesopotâmia e vice versa.

Não conseguiam viver em paz, submetidos ao abuso, pisados pelas patas dos animais, carros de guerra dos exércitos, caravanas dos comerciantes, socialmente esquecidos não tinham liberdade.

Esse povo vivia na total ESCURIDÃO (imagem da morte) por isso o profeta vem lhes prometer a LUZ REPENTINA, símbolo da intervenção de Deus em favor deste povo humilhado.

Por isso a presença de Deus no seio do povo é FONTE DE ALEGRIA E VIDA.

Deus multiplicará o povo renovará a vida tirará o jugo que pesa nas costas, tirará a canga posta sobre os ombros quebrará os instrumentos que oprime o povo, restituindo-lhe dignidade e identidade própria, não permitindo que esse povo seja explorado e pisado.

2º Leitura – 1 Corintios 1,10. 13-17

Para entender esse trecho que é continuação da 2º Leitura de domingo passado é preciso ter presente que em CORINTO os cristãos começaram a ter uma COMPETIÇÃO.

 Em nome do AMOR e da BONDADE  para ver quem melhor vivia o cristianismo surgem conflitos e outros líderes e modelos.

Paulo critica as divisões e escândalos dessas divisões. Fala que Cristo é a razão pelas qual a comunidade existe. A unidade nasce de CRISTO  e não dos EVANGELIZADORES

       MENSAGEM

O início do Evangelho de hoje deixa transparecer que encerra-se a missão de João Batista o PRECURSOR e inicia-se as atividades do FILHO DE DEUS.

Fecha-se o antigo testamento e abre-se o novo testamento. Jesus começa suas atividades indo exatamente para o território de Zabulon e Neftalí, citado por Isaías na 1º Leitura para cumprir o que fora anunciado por Isaías.

Tem-se a impressão que a situação era a mesma, o mesmo povo alienado, DESESRUTURADO, PISADO, OPIMIDO.

É para lá que Jesus se dirige. Pessoas que estão à beira da estrada e do caminho – lá ele vai convocar e levar uma boa notícia – evangelizar.Ali uma forte luz vai brilhar para  o povo.

Jesus vai pregar e convida-los “CONVERTAM-SE PORQUE O REINO DE DEUS ESTÁ PRÓXIMO´´.

 Um convite e tanto!

 Acreditem – convertam-se deixem a maldade – quem foi maltratado instintivamente quer retribuir o mal, a ofensa.

Agora não! Não façam mais isso  – Deus está próximo. O reino dele está ao lado de vocês.

Ele vai reinar – a ordem será dada por Ele. Está presente na pessoa de Jesus. É necessário o arrependimento. Arrependimento em outras palavras é aceitação de Jesus e do projeto de Deus que Ele cumpre.

 Reno presente – reino coisa ampla – muita gente. Jesus quer HOMENS NOVOS – RENOVADOS.

 Deixar de lado o HOMEM VELHO que trazemos dentro de nós – escravos da soberba / avareza / exploração do próximo / egocentrismo – tudo o que se opõe ao HOMEM NOVO.

Conversão – Tarefa inacabada. Assumir responsável, Livre e alegremente com atitudes novas e atuais de comportamento pessoal e comunitário.

 Convite – Jesus caminha junto ao mar da Galileia, onde os quatro primeiros discípulos trabalham.

 Ele encontra as pessoas no seu COTIDIANO.

SIMÃO E ANDRÉ, estão pescando TIAGO E JOÃO consertam as redes. No tempo de Jesus era comum que as pessoas seguissem um mestre aquele com o qual mais SIMPATIZASSEM.

 Jesus é que toma a iniciativa: Impressionante a personalidade de Jesus. “ Venham e siga-me farei de vocês pescadores de Homens.´´

Surpreende-nos a resposta INSTANTANEA dos vocacionados. Será uma reviravolta na vida deles – ruptura com  o estilo de vida anterior. No entanto a expressão PESCADOR  lhes é muito familiar é do cotidiano. Há continuidade nesta nova fase.

Período anterior ESCOLA DO LAGO onde Deus os preparava para o chamado.

 Pescaria – exercitaram as virtudes:

 Constância –  hoje não  peguei nada / da próxima. Todo dia mesma coisa e é preciso recomeçar.

Paciência – Tempestades / espera (mosquitos, pernilongos, sol).

Vigilância – atenção.

Colaboração – ajuda serviço mutuo.

 Silêncio – reflexão, espera.

 Discernimento – aqui é bom / ali não. Superar o que é bom e o que não serve.

Atitudes para carregar na nova missão.

Para seguir Jesus requer colaboração e compromisso das pessoas, até mesmo RUPTURA (deixar redes, o barco e o pai abrir a mão).

Comporta grande dose de risco enquanto se deixa o estável o que é conhecido e seguro, por algo que poderá trazer  NOVIDADES IMPREVISÍVEIS.

 A única coisa que os discípulos levam consigo é FRATENIRDADE Simão e André – são irmãos Tiago e João – são irmãos. Deverão alargar os horizontes estreitos da família quando na Igreja mais pessoas, setor, movimento, grupo. (Fraternidade Cristã).

Deixarão o PAI TERRENO pois terão um único PAI: O CELESTE. Eles próprios jamais serão guias, pois um só é seu guia e mestre – Jesus o Cristo.

Assim acontece conosco Jesus chega, através d nós, perto de cada homem de lá, onde se acha faz ouvir uma palavra de ESPERANÇA e de CONFIANÇA que é convite para segui-lo.

É mediante um diálogo familiar que Jesus chama.

 Cria intimidade, aproxima-se, fala e convoca. Face a face. Cada um é respeitado na sua singularidade.

 O convite é feito à pessoa e não à competência, dotes, prestígios. Jesus quer todos mesmo que limitados é Ele quem os capacita.

O convite nasce de uma chamada de ATENÇÃO, de um interesse. Invade o coração, meche com a sensibilidade, daquele que quer ser feliz, felicidade que transmite ao outro / PASSA-SE  A GOSTAR DA IDEIA.

 A gente normalmente sabe e faz da melhor forma possível gostar da ideia.

– Meu filho é o melhor

 – Meu produto é ótimo.

 Quem fala com gosto é porque vive com gosto.

 Quem entreviu Cisto em sua vida e sentiu por Ele uma ATRAÇÃO ESPECIAL, não pode ficar hesitante: tem de se comprometer, senão ficará impedido de percorrer o caminho dele.

Quando somos convidados a percorrer o caminho de Jesus, a pergunta espontânea é: para onde ?

Ele não fornece endereço: diz apenas segam-me cumpre / ir onde Ele for ou houver necessidade.

Pressupõe entrega completa / Tem gente atrapalhando:

“Tem que ser do meu jeito onde eu quiser, do jeito que eu quiser´´ não Jesus não especifica fazer isso ou aquilo.

O risco humano é total: onde exercer a missão e como faze-lo e com que finalidade?

Isso nasce das necessidades do amor.

 Jesus continua convidando hoje exige que sejamos livres.

Livres de si mesmo e dos pobres ocultos, livres para servir, amar e se sacrificar.

 Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.

Há um só Deus e Pai de todos, que está acima de todos, age por todos e em todos está presente Efésios 4,4.

 Cristo precisa de pessoas que o aceitem Ele como o CENTRO da sua fé e sua vida.

 A unidade de Cristo não nasce dos EVANGELIZADORES, mas dele. Não somos de Paulo, Apolo, Cefas – Cristo não está dividido não somos de Pe. Sílvio / Pe. Jarbas / Pe. Leonildo / Pe. Geomar / Boff / etc… Por acaso Cristo está dividido?

 Sou da legião / RCC / Mariapolis / Vicentinos / Jupac / Ajec / Cristo está dividido?

Os evangelizadores / Pastores / Coordenadores / Movimentos / são simplesmente CAMINHOS que da periferia conduzem para o centro que é Jesus.

Ele é o único que morreu na cruz pela comunidade e não a quer dividida.

É muito mais o que nos une do que nos divide – um só Senhor e um só Espírito como também uma só esperança.

Pe. Silvio Roberto dos Santos

Pároco

Imprimir