Highslide for Wordpress Plugin
Homilias › 11/01/2017

3º Domingo do Advento Ano A

3º Domingo do Advento

Ano A

10 E 11 DE DESEMBRO DE 2016

1ª leitura: Isaías 35,1-6.10

2ªleitura: Tiago 5,7-10

Evangelho: Mateus 11,2-11

HOMILIA

 

Amados Irmãos!

            Celebramos hoje o 3º Domingo do Advento; chamado “Domingo da Alegria´´. A primeira leitura começa assim: “Alegre-se a terra na espera e pela vinda do Senhor´´. Mudamos a cor litúrgica do roxo para o ROSÊ, exprimindo a alegria da certeza do Deus que se aproxima na pessoa do seu amado filho Jesus: EMANOEL: DEUS CONOSCO!

            Nós aguardamos o Messias, mas não é fácil reconhecê-lo quando chega. O Evangelho de hoje revela isso, pois, também Jesus quando se apresentou ao mundo, não foi compreendido. O próprio precursor João Batista ficou desorientado, pois apresentava um tipo de Messias revelando sinais, mas que não aconteceram.

            João Batista está na prisão, recebe a visita dos seus discípulos informando-lhe o comportamento e feitos de Jesus de Nazaré, que ele mesmo apontou como sendo Messias. João vacila na fé, assim como seus discípulos, por isso é que ele manda perguntar a Jesus: “És tu aquele que deve ir ou temos que esperar outro?´´

            Engraçado! Ele ao batizar Jesus no Jordão já havia declarado que Jesus era o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. E agora duvida? Porque disso?

            O motivo é que João Batista descrevia pormenores dramáticos que o Messias deveria fazer: coisas terríveis, coisas de arrepiar os cabelos como, por exemplo: O Messias seria um juiz severo, cortaria as árvores inúteis, limparia o terreiro, separaria o grão da palha, depois queimaria com muito fogo sem piedade toda impureza. Que Deus terrível e pavoroso esse de João Batista!

            E eis que fica sabendo o contrário. Jesus não faz nada disso. Não condena os pecadores, não varre os injustos, mas come com eles e se gaba de ser amigo deles. Não apaga a lâmpada que ainda fumega e ensina a zelar, recuperar e consertar o caniço fendido e o que está quebrado.

            Não destrói nada, não queima os pecadores, muda o coração deles e o quer felizes a qualquer custo.

            Tem palavras de salvação a todos aqueles que não têm mais esperança.

            Não aceita a hipocrisia dos homens religiosos que exploram e excluem os irmãos. Não desanima diante de nenhum problema do homem e não se entrega nem diante da morte.

            Jesus responde a João, enumerando 6 sinais.

            Ide dizer a João que estão vendo:

            1º cura dos cegos;

            2ºcura dos surdos,

            3ºcura dos mudos;

            4ºcura dos aleijados;

            5ºa ressureição dos mortos

            6ºo anúncio do Evangelho: a boa notícia a todos!

            Quer mais? Isso não é suficiente? Jesus, portanto, não tem nada a ver com o homem severo e energético que o Batista espera, por isso escandaliza o precursor, a nós também hoje.

            Muitos cristãos, pregadores ou movimentos querem converter os outros pregando um Deus que intervenha castigando os ímpios, castiga com desgraças, abatendo pessoas erradas, um Deus que parece sentir prazer ao ver os maus sofrer.

            O Deus que Jesus revelou é muito diferente: Ele ama a todos, bons e maus, faz surgir o sol e envia chuva sobre justos e injustos, porque todos são seus filhos. (Mt 5,45).

            Isso contraria os fanáticos, os que tudo sabem, os que sempre têm um dogma a impor, convencidos de que jamais erram…

            Jesus termina o Evangelho de hoje enaltecendo a integridade de João Batista: não é caniço que verga conforme a direção do vento; não é oportunista, não se inclina diante do poderoso, denunciam os erros dos políticos, capaz de enfrentar de peito aberto o rei explorador e não tem medo de dizer o que pensa, não é corrupto, não gasta dinheiro publico em divertimentos, bebedeiras, viagens, roupas caras. Por isso, João é posto na prisão porque incomoda com suas verdadeiras denuncias. É chamado de SUBVERSIVO, porque a verdade que fala dói aos interessados. Tem visão e leva a todos a enxergar o que sozinhos não veem.

            É curiosa a declaração de Jesus sobre João: o menor no Reino dos céus é maior do que ele.

            Não melhor, mas melhor, alguém que vê mais longe.

            O Evangelho de hoje nos ensina a ter cuidado com a imagem que pintamos de Deus em Jesus Cristo. Descobri quem são os preferidos de Deus.

            Devemos aprender com João Batista a humildade de querer saber e reconhecer Jesus. Neste Natal qual a imagem de Deus anunciou?

            Descobrir como João, esse Deus que vem ao encontro do homem para salvá-lo. Quais os sinais pregamos pra convencer os homens que o Messias está entre nós?

Pe. Silvio Roberto

Imprimir