Highslide for Wordpress Plugin
Homilias › 16/01/2017

2º DOMINGO COMUM – ANO A

2º DOMINGO COMUM

Ano A

14 e 15 de Janeiro de 2017

A celebração deste domingo tem forte ligação com o Domingo passado que foi o Batismo de Jesus.

Neste evangelho de João vemos nessa passagem Jesus sair da vida oculta para a vida publica.

Dois pontos chaves no Evangelho de hoje: Jesus é o Cordeiro que tira o pecado do mundo e João diz  “ eu vi e dou testemunho que este é o filho de Deus´´.

 “Esse é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. ´´

 A  expressão acima, no contexto cultural era familiar à mentalidade judia e aos primeiros cristãos procedentes do judaísmo, assim como ele é a LUZ PARA AS NAÇÕES.

Hoje, temos de convir que a comparação ou o título é menos apropriada à nossa cultura ou a linguagem moderna, ao menos o seu sentido. O cordeiro de Deus no tempo de Jesus era uma referência aos sacrifícios habituais de cordeiros no templo para expiação perdão dos pecados do povo.

 Por isso João ao ver Jesus e sabendo do seu destino fala que ele é o SERVO DO SENHOR exatamente porque ele será imolado precisamente no dia da Pascoa e na hora da matança dos cordeiros pascais.

Foi pago por 30 moedas exatamente o preço que se pagava por um cordeiro.

 Ele é o CORDEIRO é a nova vítima, que supera e ANULA os sacrifícios de animais.

Por seu sangue derramado recebemos a redenção, o perdão dos pecados. (Efésios 1,7).

 (São Pedro 1,18-19)  Vocês foram resgatados, não com  ouro ou prata, mas ao preço do sangue de Cristo, o cordeiro sem defeito e sem mancha.

A expressão que “ tira o pecado do mundo´´ – engloba não somente apagar todos numericamente, mas, sobretudo a situação do pecado do mundo, a condição escravizada do homem pecador supõe a vitória do bem, a vitória da LUZ sobre as trevas e sobe a negação do Amor de Deus e aos irmãos.

Com a morte de Jesus fica saldado não só o pecado  do povo Israelita mas do mundo todo, o meu e o seu pecado.  O pecado vive, se faz realidade entre nós e dentro de nós e de cada um hoje como ontem e sempre. É certo que fomos redimidos, chamados à santidade, mas não nos tornamos impecáveis.

O pecado está no meio de nós embora a conversa de rua não lhe chamem de pecado (não tenha pecado) – este termo está ultrapassando, defasando, mas, basta lançar um olhar.

Na sociedade nacional e interacional a exploração gera pobreza, fome, a incultura, a violência, o sofrimento de tantos inocentes, a marginalização dos sem voz e sem vez, numa palavra a violação dos direitos humanos.

 No mundo do trabalho – aumenta competição desleal, a insegurança, a fraqueza dos pequenos, as greves, as fraudes, os roubos nos preços e balanças, a exploração dos fracos.

 No mundo da família percebe-se aumentar a frieza e indiferença, a prepotência, o individualismo, falta de diálogo e entendimento, luta de gerações, desamor, infidelidade dos casais, divórcios e abortos.

 No plano pessoal: soberba, avareza, luxuria sem amor, inveja, desejos, domínio, ódio, rivalidade, vingança, egoísmo, individualismo.

Em nós andam junto amor – ódio/ alteridade – egoísmo/ gratificação – agressividade aquilo que os gregos chamam de éros tánatos, aquilo que os psicólogos reconhecem como validos nos conflitos psicológicos e complexos neuróticos de culpabilidade.

Mas isso nos faz exclamar com São Paulo: “ POBRES DE NÓS quem nos libertará dessa situação de pecado que nos leva à morte pessoal e a destruição mútua?´´

 Como podemos lutar com êxito contra o mal e vence-lo dentro de  nós, no mundo, dentro de casa, dentro em nossas vidas e no  ambiente que nos cerca?

 Quem nos reconciliará com Deus e com os irmãos?

Há uma esperança indestrutível: É Jesus  – o cordeiro de Deus que  tira o pecado do mundo . Ele é a nossa vitória, nossa libertação,  nossa paz.

Por Cristo e com Cristo somos capazes e é nosso dever vencer o pecado, o mal de cada dia e construir o Reino de Deus e sua justiça na Terra.

Há urgência de nossa fé dar testemunho de salvação de Deus como indivíduos e como Igreja, povo de Deus.

Recebemos uma missão do Espirito Santo, dando testemunho como pessoas e grupos fiéis a Jesus SER LUZ.

 Pratiquemos a conversão contínua.

 Jesus cura/ liberta/ alivia e salva.

EU SOU A BOA NOTICIA a redescobrir os valores em Deus .

AMÉM!

Pe. Silvio Roberto dos Santos

Pároco

Imprimir